1ª sessão

Mimesis e Dissemelhança

A Arte como reconhecimento do Artifício
O Vestígio; o icónico; a similitude e a dissimilitude.

O sentido de Verdade e Representação e suas manifestações no Sagrado.

Se a figura não é semelhante ao deus, como é reconhecida como especialmente relacionada com o divino?

Que palavra darei a esta matéria?

Santo Agostinho, Confissões

no claustro, debaixo dos olhos dos irmãos que aí lêem, que fazem aquelas ridículas monstruosidades, aquela maravilhosa e disforme formosura, aquela graciosa disformidade?

Bernardo de Claraval

2ª sessão

Ao sábio cabe o silêncio

Miscigenação cultural, artística e religiosa.

Fumie- estatuto do Eu- imago Christi– espelho de um simulacro

Aprendemos a ver Deus pintado em todas as suas obras

Nicolas Fontaine

Jesuítas- O homem é imagem – cópia – o desejo de semelhança fá-lo correr o risco de ser idólatra

¿Qué es la vida? Un frenesí.
¿Qué es la vida? Una ilusión,
una sombra, una ficción,
y el mayor bien es pequeño.
¡Que toda la vida es sueño,
y los sueños, sueños son!

Calderón de la Barca

Monstros da Razão

Desengaño como mal du siècle nos Caprichos de Goya ou nas Cartas Marruecas de Cadalso.
O artista inventor e não o imitador servil para quem o homem nunca tinha sido mentalmente são e raras vezes é humano.

“Solo oyo la ronca
Voz del negro curvo,
Murciélago triste
Gavilan sinistro
O de otros iguales
Para mal agüero”

Cadalso- Noches lugubres

3ª sessão

Patafísica e Dada

A modernidade e o paradoxo da ironia. Da sofística ao dandy sofisticado

A joca Seria– as coisas sérias e as que o não são.

Batético como consagração dos proscritos- deposto da Arte.
“Sobre a verdade e a mentira num sentido extra-moral”
O absurdo e nonsense depois do fim das utopias.

4ª sessão

A aura das vitrinas

Homo Ludens

“Campbell, Campbell, Campbell, Campbell”
Michel Foucault

O artista como hedge fund

«Ironia é um modo a brincar de aceitar alguma coisa. A minha ironia é a da indiferença. É uma “Meta-ironia”.» Marcel

“You know, I like signing all those things – it devalues them”
Marcel Duchamp

Quelle est la figure haujourd’hui qui ‘est pas en cire?
Marcel Broodthaers

“I like saying when somebody says, ‘How much did you sell it for? ‘One. A long one.’”
Damien Hirst

“Two million eight, two million eight. Who’ll give me three? Come on now. It’s against you Bruno, it’s against you. Are you out? Look in my eyes, look in my eyes and tell me.” Bruno, bidding for a telephone buyer, muttered some words, waited for the reply, and raised the bidding. It stuck again at £3.1 million, but Mr Barker seemed to know he could get more. “It’s against you, Bruno, it’s against you” – the phrase was repeated like a mantra until, once more, Bruno’s hand was raised. Then suddenly£3 million went to £4 million, and onward and upward it went. “Fair warning, fair warning, last chance – sold!!” exclaimed Mr Barker triumphantly, knocking it down, finally, at £8.5 million.

The Damien Hirst Auction
Date: 21-09-2008

“Warhol utilizava os ícones populares que todos conheciam. Eu quero, eu mesmo, criar o ícone. Criando uma figura, pintando-a e repetindo-a, eu me tornarei um ícone.”
Murakami